Sonhou com a presidência e caiu da cama

Mão na cabeçaE agora, Ciro?

Fora da corrida presidencial, Ciro Gomes já chamou a decisão do seu partido de “erro tático”. Num jogo onde tudo depende de tudo, vejamos como a irritação do ex-futuro-presidenciável vai intervir em suas alianças.

Serra distribui beijos em Alagoinhas e Feira

Essa semana, dia 27 de abril, o candidato à presidência, José Serra, esteve mais uma vez na Bahia (agora nos municípios de Alagoinhas e Feira de Santana) de olho no filão nordestino.

Cheio de humor, distribuiu simpatia e beijos, tomou cafezinho em uma lanchonete e minguau em uma barraca.

Partiu para o corpo a corpo para não perder a Bahia ‘dilmavez’.

Empresário quer ver Dourado fora do BBB

José Antônio Mello é o nome do empresário de 39 anos que resolveu fazer uma campanha prometendo dinheiro para quem ajudar a tirar o participante Marcelo Dourado do programa global Big Brother Brasil que está em sua 10ª edição. “Tenho R$ 50.000,00 para distribuir com vocês caso consigamos tirar o Dourado nesta terça-feira!!!!”, afirma o blogueiro na sua página.

Indignado com a participação do lutador, ele aponta as polêmicas criadas por Dourado dentro do programa e convida “Vamos juntos tirar esse câncer da televisão!”.

Ontem, durante a exibição do Big Brother, o apresentador Pedro Bial brincou dizendo que “Quem aposta come bosta”, mas apostou que essa seria a maior votação para eliminação no BBB 10. Será?

Se for por vontade de José Mello pode não ter o maior número de votos, mas todos eles serão para o ‘machista-metido-a-brigão’ que está morrendo de vontade de esbofetear uma das suas oponentes no programa, Marcelo Dourado.

Chuvas castigam Salvador

Foto arquivo A Tarde

Quem vive no nordeste brasileiro costuma pedir que a chuva venha para abrandar o calor e molhar as plantações. E ela geralmente vem no terceiro mês do ano: são as chamadas águas de março. Entretanto, em 2009, ocorreu um fenômeno atípico. Os baianos ficaram praticamente sem chuvas durante esse período. Já o mês de maio, foi marcado por muita chuva e ventos fortes. Salvador, capital da Bahia, revelou o lado frágil de uma cidade que não está preparada para enfrentar índices pluviométricos tão altos. Choveu muito mais do que o normal para esta época do ano, e as consequências foram lastimáveis.

A princípio, o trânsito ficou complicado. Em seguida, foram verificados congestionamentos intermináveis nas principais avenidas. Quedas de árvores anunciavam que a chuva não daria trégua. O clima de caos tomou conta da capital baiana. Os alagamentos nas principais ruas passaram a ser constantes. A situação foi agravada com os deslizamentos de terra e desabamentos de imóveis construídos em morros ou perto deles. Moradores passavam horas tentando recuperar objetos em meio aos escombros: perdas materiais. Pessoas foram arrastadas pela força das águas e seus corpos foram encontrados dias depois, a quilômetros de distância. Homens ficaram soterrados. Mortes: perdas irrecuperáveis.

Diante dos estragos, no começo do mês de maio, o governador da Bahia, Jaques Wagner, decretou estado de emergência em Salvador e cidades próximas. Desde o início das chuvas, quase 10 mil pessoas ficaram sem casa. Paredes racharam e tetos caíram, soterrando histórias, lembranças, brinquedos, livros, móveis e eletrodomésticos. Entre as vítimas do que pareceu um verdadeiro dilúvio, estão centenas de crianças. Agora, elas estão em novas moradas, em abrigos ou vivendo com parentes.

A prefeitura contribui com pouco. Uma espécie de ajuda para o aluguel de outro imóvel no valor de R$150. Com dificuldades, as famílias vitimadas tentam conseguir outro lugar para se abrigar.

Retomar a vida e reacender as chamas da esperança é o desafio que se coloca para o povo. Não bastasse a árdua vida, a tarefa agora é reconstruir a história com o que ficou debaixo dos escombros.

Em meio a tanto sofrimento, lições de solidariedade e de amor ao próximo são demonstradas através de gestos simples: colchões, lençóis, alimentos e roupas são partilhados entre vizinhos. Salvador, terra da alegria, se entristece e segue na espera ansiosa por dias melhores.

Punhetinha seca ou molhada?

Calma aí! Não é nada disso que você está pensando. Perguntar se a punhetinha é seca ou molhada não se trata de uma pergunta indecente. Quer testar? Pergunte a uma baiana de acarajé autêntica quanto custa a punheta.

 

Seca quando é pura e molhada se estiver envolvida em açúcar e canela. Presente nos tradicionais tabuleiros da cidade, esse manjar é essencialmente feito de tapioca e coco.

Ninguém melhor que Jorge Amado (1912 – 2001) para exemplificar o uso dessa palavra. “Como é mesmo tia Romélia? E tu não sabe menina? Olha que tu sabe muito bem, o nome é punheta, bolinho de estudante é pronúncia de besta!”, assim  confirma o autor baiano no livro O Sumiço da Santa.

Punheta ou punhetinha, o termo foi utilizado por muito tempo para designar uma das mais saborosas iguarias baianas. O atual bolinho de estudante recebe esse nome devido aos ingredientes simples e de baixo custo.

O antropólogo Luís da Câmara Cascudo (1898 – 1986) relaciona o binômio estômago e sexo. Para ele, a fome e o amor governam o mundo. Essa seria uma possível explicação para o bolinho ser conhecido como punheta. E em seu livro História da Alimentação no Brasil ainda lembra que o sexo pode ser adiado, já a fome não.

Agora que você já conhece essa maravilha da culinária nordestina, confira a receita do quitute que seduziu até Tony Blair, ex-primeiro ministro da Inglaterra, em sua visita ao Brasil.

 

Punhetinha ou Bolinho de Estudante – Receita                                          

 

Ingredientes:

 

· 500g de tapioca de caroço + 50g para passar os bolinhos antes de fritar

· 2 cocos grandes (descascados)

· 1 colher (chá) de sal

· 1 xícara de açúcar

· 4 copos de água morna

· óleo

· açúcar e canela (opcional)

 

Modo de preparo:

 

Bata o coco no liquidificador com a água.

Coloque o coco batido em um recipiente e tempere com sal e açúcar.

Acrescente a tapioca de caroço e deixe inchar.

Molde os bolinhos e passe na tapioca de caroço seca.

Frite-os em óleo quente até ficarem dourados.

Não deixe de escorrê-los em papel absorvente.

Se desejar, passe-os em uma mistura de açúcar e canela.

 

Está pronto para servir. É tudo de bom!

 

*Texto meu, extraído (e adaptado) da Troupe em Revista de fevereiro de 2009.

Última semana para inscrição nos editais inéditos de rádio e TV

A Secretaria de Cultura e o Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia lançaram três editais inéditos, cujo prazo de inscrições encerra-se no próximo dia 31 de outubro. A produção radiofônica foi contemplada com dois editais de apoio. O terceiro edital irá fomentar a criação de programas-piloto para a televisão. No total, a premiação distribuirá até R$ 440 mil em recursos financeiros oriundos do Fundo de Cultura.

Os dois editais de rádio (Apoio à Produção de Programas Infantis e Apoio à Produção de Programa Radiofônico de Radionovela), que somam R$ 190 mil em prêmios, tem por objetivo estimular a produção independente e valorizar temas e personagens históricos, além de diversificar a programação da Rádio Educadora FM 107.5.

Os projetos de radionovela deverão contemplar quatro temas: Outras Histórias do 2 de Julho – Maria Felipa, a Heroína Esquecida, Bimba e Pastinha – Histórias Pitorescas da Capoeira na Bahia, Cosme de Farias e sua Participação na Vida Social e Política da Cidade do Salvador e A Música e o Cordel do Recôncavo Baiano no Início do Século 20  –  Assis Valente e Cuíca de Santo Amaro.

Televisão – Já o edital de Apoio à  Produção de Obras Audiovisuais na Forma de Programa-Piloto para Televisão selecionará, pelo menos, cinco obras audiovisuais inéditas, com duração de 26 minutos ou 52 minutos, até o valor máximo individual de R$ 50 mil. Os editais completos, com as especificações e os formulários de inscrição, estão disponíveis nos sites da secretaria e do IRDEB.

Luto no cinema

Ator, diretor, roteirista e um dos maiores galãs que Hollywood já viu. Faleceu na última sexta-feira (26/9), vitíma de câncer, Paul Newman, o astro de filmes como Butch Cassidy and the Sundance Kid, ao lado de Robert Redford.

Mais uma grande perda para o cinema.

Previous Older Entries Next Newer Entries