Uma história, uma lição de vida: Lionel Messi



É uma desforra bem pessoal, a história do menino austista aos 8 anos, anão aos 13, que via o mundo a 1,10 metros do solo. É esse mesmo, Lionel Messi, que botou corpo à base de tratamentos hormonais e que, 59 centímetros depois, encanta o mundo do futebol, naquele jeito singular de conduzir a bola colada ao genial pé esquerdo, como se o couro redondo fosse um mano siamês, uma mera extensão corporal, um órgão vital, inseparável.Por muito talento que tivesse, estaria o rapaz consciente do destino glorioso que lhe estava reservado?

Em 2000, sobrevoou o Atlântico para se curar de uma patologia hormonal. Lá na Argentina, na Rosário natal, os prognósticos médicos eram arrasadores: sem tratamento eficaz contra o nanismo, Lionel chegaria à idade adulta com 1,50 metros, no máximo.

Os diagnósticos alarmaram os Messi. E o custo também: mil euros mensais, ou seja, quatro meses de rendimentos da família de La Heras, um bairro pobre de Rosário. Mas o pai de Lionel não se resignou. Sabia que o filho, pequeno no corpo, era gigante no talento. E não aceitou a fatalidade. Nessa altura, o prodígio de dez anos despontava no Newells Boys, fintando meninos com o dobro do tamanho e marcando gols atrás de gols. O pai sugeriu ao clube que pagasse os tratamentos de Lionel. A resposta foi negativa. E o mesmo sucedeu quando os Messi foram bater à porta do grande River Plate.

Na adversidade, a família Messi teve mais força, com a ajuda de uma tia de Lionel, emigrada na Catalunha. E foi assim, em 2000, ainda antes de completar 13 anos, que Lionel e os pais viajaram até Lérida. Dias depois, o pequeno prodígio foi fazer testes no Barcelona. A enorme habilidade maravilhou os treinadores do Barça.

Carles Rexach, diretor do centro de formação do Barcelona, ficou encantado com o prodigiozinho argentino. Ao cabo de dois treinos, não hesitou e logo tratou de arranjar contrato. E ficou espantado com a proposta do pai do craque: o Barça só tinha de lhe pagar os tratamentos que os médicos argentinos sugeriam. Foi dito e feito.

Durante 42 meses, diariamente, Lionel levou injecções de somatropina, hormônio de crescimento inscrito na tabela de produtos proibidos pela Agência Mundial Antidopagem e só autorizada para fins terapêuticos. Em 2003, o medicamento fez de Lionel o que ele é hoje, um rapagão de 1,69 metros!

No Verão de 2004, aos 17 anos e já com contrato profissional, entrou para a equipe B do Barça. Mas fez só cinco jogos, porque aquele enorme talento não cabia no “Miniestadi”. Pedia palcos maiores. E rapidamente começou a jogar no time principal.  Assim começou a lenda.

Alguns anos depois, Messi teve a consagração absoluta. Foi eleito Melhor Jogador do Mundo de 2009, após uma época de sonho, concluída com um feito inédito do Barça “de las seis copas”: campeão de Espanha, da Taça do Rei, da Supertaça Espanhola, da Supertaça Europeia, da Liga dos Campeões e do Mundial de Clubes.

O craque que o Barça contratou pelo custo da terapia de crescimento é, hoje, a maior joia do futebol mundial, segurada por uma cláusula de rescisão de nada menos que 250 milhões de euros! E é, também, o mais bem pago de todos: o menino pobre do bairro de la Heras é, agora, multimilionário, recebendo 33 milhões de euros anuais em salários e publicidade.

“GRANDE LIÇÃO DO PAI QUE NÃO DESISTIU DO SONHO: CURAR O FILHO.”

Não focalizou no problema, mas na solução.

Adaptado da internet.

Anúncios

Santos Inocentes

No dia 28 de dezembro, na Igreja da Santíssima, comunidades, irmandades, e congregações se reúnem mais uma vez para a Celebração Eucarística dos Santos Inocentes.

A Missa dos Santos Inocentes é uma celebração pelas crianças, adolescentes e jovens assassinados na periferia de Salvador-Bahia. Há 10 anos vem sendo presidida pelo Bispo D. Geraldo Majella. A celebração tem por objetivo anunciar a vida e denunciar as práticas herodianas que espalham o terror em nossa cidade, ferindo violentamente tantas crianças, adolescentes, jovens e suas famílias.

O texto bíblico que fundamenta a celebração é Mateus 2, 13-18. Nessa passagem bíblica, o grande objetivo de Herodes era matar Jesus, por medo de que o garoto, no futuro, tomasse o seu lugar. O texto lembra a matança provocada pelos Herodes da atualidade, já que tantas crianças, adolescentes e jovens inocentes estão sendo mortas de forma injusta. A cultura de morte está presente em nossa sociedade. Crianças vivendo nas ruas, adolescentes nas sinaleiras, jovens vítimas de balas perdidas e alvo de traficantes. Percebemos também que a morte está presente no sistema: deputados querem diminuir a maioridade penal, falta estrutura no sistema de garantia de direitos da Criança e Adolescente, os orçamentos públicos não prevêem nada ou quantias insignificantes para infância e adolescência.

A missa dos Santos Inocentes é um convite a todos que acreditam na cultura de PAZ.
Como forma de materializar a cultura de paz, cartazes produzidos por crianças e adolescentes serão expostos na entrada da Igreja da Trindade.
Celebração dos Santos Inocentes

Quando: 28 de dezembro de 2010, às 09h.

Onde: Igreja da Santíssima Trindade, s/n – Água de Meninos.

Presidente da celebração: Dom Geraldo Majella Agnelo

Dicas do bom Português!

Dica do dia para escrever bem:

* “Faz” ou “Fazem” cinco anos? Fazer, quando exprime tempo, é impessoal: Faz cinco anos. / Fazia dois séculos. / Fez 15 dias.

* “Mau” ou “Mal”?
Mal opõe-se a bem e mau, a bom. Assim: mau cheiro (bom cheiro), mal-humorado (bem-humorado). Igualmente: mau humor, mal-intencionado, mau jeito, mal-estar.

Cadê o editor?

Geeeente… Cadê o editor do Correio? Cochilou, foi?!

Como deixa passar uma dessa?

Polvo Paul: 100%

Tudo bem, a Espanha levou o título, mas se o quesito for palpite, o Polvo Paul foi o grande campeão da Copa do Mundo.

Polvo Paul escolhe Espanha

Com 100% de acerto, o polvo profeta que vive na Alemanha ficou superfamoso e virou motivo de brincadeiras até entre ministros espanhois. Eles alertam sobre o perigo que Paul pode estar correndo agora!

Confira o vídeo do Polvo em ação sobre a final do Mundial!

Sonhou com a presidência e caiu da cama

Mão na cabeçaE agora, Ciro?

Fora da corrida presidencial, Ciro Gomes já chamou a decisão do seu partido de “erro tático”. Num jogo onde tudo depende de tudo, vejamos como a irritação do ex-futuro-presidenciável vai intervir em suas alianças.

Serra distribui beijos em Alagoinhas e Feira

Essa semana, dia 27 de abril, o candidato à presidência, José Serra, esteve mais uma vez na Bahia (agora nos municípios de Alagoinhas e Feira de Santana) de olho no filão nordestino.

Cheio de humor, distribuiu simpatia e beijos, tomou cafezinho em uma lanchonete e minguau em uma barraca.

Partiu para o corpo a corpo para não perder a Bahia ‘dilmavez’.

Previous Older Entries