Poetas enfrentam dificuldades com divulgação

Os poetas clamam pela poesia “nos lares, nos bares, em todos os lugares”. No Bêco de Rosália, point boêmio dos intelectuais localizado no bairro dos Barris, em Salvador, encontros entre escritores são regados a recitais que encantam o ambiente.

 

Douglas de Almeida, poeta e também diretor da Biblioteca Betty Coelho, participa dos recitais e explica que usar a oralidade é uma estratégia para divulgar o trabalho. Ele aponta dois graves problemas relativos à propagação da poesia – o mercado e as castas formadas no meio literário.

 

Com relação ao mercado, segundo a Câmara Brasileira do Livro, enquanto em países como a França as pessoas lêem, em média, sete livros por ano, no Brasil esse número não chega a dois. Além do baixo nível de leitura, em todo o país são apenas 700 livrarias. Ou seja, existem mais livrarias
em Buenos Aires que no Brasil inteiro.

 

As castas, às quais se refere Douglas, funcionam como forma de hierarquizar rigidamente os poetas. Assim, muitos talentos não encontram espaço para divulgar seus trabalhos, a exemplo de Abdon Mendes, de 25 anos que é estudante do curso de Letras e escreve poesias desde os 15, quando ainda estava no ensino fundamental. Não tem livro publicado, mas já possui cerca de 800 poemas. “Não digo precisamente, pois poesia não pertence às ciências exatas”, brinca o jovem poeta.

 

Em contrapartida, grupos fechados que envolvem os escritores já consagrados, conseguem financiamentos junto às Secretarias do Ministério da Cultura e continuam pertencendo à classe que se considera dona da arte de escrever poesias. “Não me iludo com expectativas dantescas”, reflete Abdon sobre perspectivas de publicação.

 

Douglas de Almeida acredita seja necessária uma mudança no cenário literário do nosso país, “É preciso reconhecer que a arte é para todos, democratizá-la. A arte é inerente à classe social.”.

Anúncios

Filtro solar!

Estes dias estava fazendo algumas buscas no Youtube e não resisti a procurar o clipe da música Filtro Solar narrada pelo Pedro Bial.

Gente, o texto é muito bom…

Vou deixar aqui o que acho de mais interessante.

Muitas coisas bacanas para refletir um pouquinho!

A versão completa pode ser conferida aqui.

Agora vai a minha seleção:

Beijos…e usem o filtro solar!

Ótima semana!


Filtro solar!
 
Nunca deixem de usar o filtro solar
Se eu pudesse dar só uma dica sobre o futuro
seria esta: usem o filtro solar!
Os benefícios a longo prazo do uso de Filtro Solar
estão provados e comprovados pela ciência,
Já o resto de meus conselhos não tem outra base
confiável além de minha própria experiência errante.
Mas agora eu vou compartilhar esses conselhos com
vocês...
 
Aproveite bem, o máximo que puder, o poder e a beleza da juventude.
Ou, então, esquece... Você nunca vai entender mesmo o
poder e a beleza da juventude até que tenham se apagado.
 Não se preocupe com o futuro.
Ou então preocupe-se, se quiser, mas saiba que
pré-ocupação é tão eficaz quanto mascar chiclete para tentar 
resolver uma equação de álgebra.
Cante.
Não seja leviano com o coração dos outros.
Não ature gente de coração leviano.
Não esqueça os elogios que receber.
Esqueça as ofensas.
Se conseguir isso, me ensine.
Guarde as antigas cartas de amor.
Jogue fora os extratos bancários velhos.
Talvez você case, talvez não.
Talvez tenha filhos, talvez não.
Talvez se divorcie aos quarenta, talvez dance ciranda em suas bodas de diamante.
Faça o que fizer não se auto congratule demais, nem seja severo demais com você,
As suas escolhas tem sempre metade das chances de dar certo,
É assim para todo mundo.
 
Dance.
Mesmo que não tenha aonde além de seu próprio quarto.
Leia as instruções mesmo que não vá segui-las depois.
Não leia revistas de beleza, elas só vão fazer você se achar feio.
Dedique-se a conhecer seus pais. É impossível prever
quando eles terão ido embora, de vez.
Seja legal com seus irmãos. Eles são a melhor ponte com o seu passado 
e possivelmente quem vai sempre mesmo te apoiar no futuro.
Entenda que amigos vão e vem, mas nunca abra mão de uns poucos e bons.
More uma vez em Nova York, mas vá embora antes de endurecer.
More uma vez no Havaí, mas se mande antes de amolecer.
Viaje.
Aceite certas verdades inescapáveis:
Os preços vão subir, os políticos vão saracotear, você também vai envelhecer.
E quando isso acontecer você vai fantasiar que quando
era jovem os preços eram razoáveis, os políticos eram decentes,
E as crianças respeitavam os mais velhos.
Respeite os mais velhos!!
E não espere que ninguém segure a sua barra.
Talvez você arrume uma boa aposentadoria privada.
Talvez você case com um bom partido, mas não esqueça
que um dos dois de repente pode acabar.
Não mexa demais nos cabelos se não quando você chegar
aos 40 vai aparentar 85.
 
Cuidado com os conselhos que comprar,
mas seja paciente com aqueles que os oferecem.
Conselho é uma forma de nostalgia.
Compartilhar conselhos é um jeito de pescar o passado
do lixo,
esfregá-lo,
repintar as partes feias e reciclar tudo por mais do
que vale.

 

Dia Nacional da Poesia

Não posso deixar de registrar.. o dia nacional da poesia… e para celebrar, nada melhor que:

  

TEUS OMBROS SUPORTAM O MUNDO

Chega um tempo em que não se diz mais: Meu Deus.

Tempo de absoluta depuração.

Tempo em que não se diz mas:Meu amor

Por que o amor resultou inútil.

E os olhos não choram.

E as mãos tecem apenas o rude trabalho.

E o caração está seco.

E em vão mulheres batem à porta,

não abrirás,

Ficaste sozinho,

a luz apagou-se,

Mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.

És tudo certeza,já não sabes sofrer.

E nada espera de teus amigos.

Pouco importa venha a velhice,que é a velhice?

Teus ombros suportam o mundo

E ele não pesa mais do que a mão de uma criança.

As guerras,as fomes,as discurssões dentro dos edifícios

Provam apenas que a vida prossegue

E nem todos se libertam ainda.

Alguns achando barbaro o espetáculo

Preferiram (os delicados) morrer.

Chegou um tempo em que não adianta morrer.

Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.

A vida apenas,sem mistificação.

(Carlos Drummond)